Sobre o ouvir e o escutar






       São duas palavras tão simples, tão parecidas, tão usadas. 
     Algumas pessoas as consideram sinônimas e não conseguem perceber a diferença sutil e importantíssima entre as duas.

     Praticamos todos os dias em diferentes momentos, algumas pessoas mais, outras menos, mas todos nós  utilizamos esses dois comportamentos muitas vezes e alternamos quando usar um ou outro.

    Creio que perceber a diferença já nos permite perceber os fatos sobre uma outra perspectiva um pouco mais profunda e desafiadora.

    Ouvir, creio eu, é um ato mais livre: ouvimos música, ouvimos as notícias, ouvimos um discurso. Nesse ato não parece haver um compromisso maior com o outro, a preocupação está mais centrada em nós mesmos e nas nossas próprias necessidades de divertimento, entretenimento, curiosidade, sede de informação... não há um compromisso maior em prestar atenção ou mesmo dar algum tipo de resposta.

    Já escutar é um outro tipo de comportamento. Exige uma dedicação e um envolvimento maior. Exige entrega amorosa, empatia, silêncio atento, compartilhamento de ideias e sentimentos, exige uma presença total. 

      Inúmeras vezes, eu sentei com amigos e tive que fazer um esforço enorme pra conseguir me desligar de tudo o que se passava na minha cabeça para me fazer presente por inteira: olhar no olho, compartilhar tudo o que estava sendo dito. 

    Pra mim, escutar é uma arte que vamos desenvolvendo ao longo da vida, aprendendo a silenciar os nossos pensamentos para colocar se em comunhão com uma outra pessoa e por algum tempo fazer com que ela se sinta realmente escutada e acolhida. Nesses momentos o tempo parece parar e me sinto parte de algo muito maior que eu mesma. 

     É uma pena que, na minha vida diária, esses momentos são raros, porque as "outras demandas" disputam ferozmente a minha atenção. Talvez por isso que eu escreva para poder silenciar um pouco as demandas externas e ouvir os meus pensamentos com maior carinho e acolhimento.  

     Por que aprender a se escutar também é importante, e em alguns momentos essencial para que saibamos exatamente qual o caminho que mais nos serve e nos faz feliz.

       Eu que trabalho com muita gente ao longo do meu dia, confesso que passo a maior parte do tempo ouvindo as pessoas, e percebo que , cada vez mais, todos tem uma necessidade enorme de serem ouvidos e falar, mesmo que nem sejam coisas tão necessárias. 

      Nessas horas em que apenas ouço as pessoas me sinto presa a um emaranhado de palavras sem sentido e congelada no tempo.

      Acredito que depois de um determinado tempo de vida adquirimos o direito de escolher o que queremos escutar e o que queremos apenas ouvir, até porque a vida começa a ficar mais preciosa e a gente com menos paciência.

       Ouvir é importante mas escutar é essencial, o primeiro fazemos essencialmente com os ouvidos, já o segundo faz com que entreguemos o nosso coração no processo.

       O grande segredo parece ser, a capacidade de decidir com clareza e sem arrependimentos, o que queremos escutar e aquilo que apenas ouvir e assim, construir a sinfonia dos nossos dias e pensamentos.


     Por um mundo mais equilibrado entre a arte de escutar e o ato de ouvir.


Muita luz e escuta pra todos!!!

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário e um endereço de contato pra gente se falar!!!