Sobre a responsabilidade de escrever

     Escrever pra mim é algo muito sério e importante. Quanto mais o tempo passa assim como as leituras que faço, eu percebo que escrever é deixar a sua marca no mundo, se a vontade de juntar umas letrinhas surgiu é porque, em algum lugar alguém precisa te ouvir.
    E penso que isso tem que ser algo importante, e ter algum tipo de compromisso, dar voz para algo que seja relevante para alguma pessoa.
   Também é certo o pensamento de que eu sou bem exigente e ultimamente, tenho sido bem mais cuidadosa com as minhas palavras e a minha vida. Já tive experiências pouco positivas, e por hora, evito expor aquilo que estou vivendo.
   Também por isso, as postagens nesse blog andam um pouco mais raras: preciso pensar muito se o que tenho a dizer faz algum sentido e tem alguma relevância na minha vida.
  A figura acima ilustra bem o que penso sobre o escrever: se não tenho nada de bom ou construtivo para falar, talvez o silêncio seja uma escolha mais sábia.
  E falando em escolhas, posso afirmar que tenho feito algumas bem mais conectadas com a pessoa que eu realmente quero ser e menos com aquilo que outros esperam de mim, isso tem cobrado um preço, às vezes bem alto, mas o qual estou disposta a pagar . 
    A grande mudança e o maior desafio tem sido manter o foco em todas as coisas que tenho na vida: pessoas, objetos, sentimentos e menos naquilo que supostamente me falta.
   Nem sempre é algo fácil ou tranquilo mas com certeza é bem melhor do que ficar apegada a situações do passado ou ficar criando expectativas em relação a um futuro sobre o qual não tenho nenhum controle.
  Sigo assim: cuidadosa com as palavras e com a vida, com mais silêncios e menos respostas.

Muita luz e palavras com sentido pra todos!!!

Um ano e só...

 Um ano...
Não sei se celebro ou reclamo!!
Vou apenas esperar... e torcer para que o universo seja generoso e atenda os meus pedidos.
E que essa data não seja comemorada novamente!!!


Sobre caminhar só...

        Eu ando só e já faz um bom tempo. Por algum tempo muito breve, algumas pessoas caminharam durante algum tempo ao meu lado. Foi bem legal, divertido e também bastante sofrido.

     Hoje faz um ano que tive uma pessoa ao meu lado por um tempo. De lá pra cá resolvi caminhar sozinha para evitar dores maiores. 

    Meu último relacionamento foi do tipo meteoro: chegou na minha vida sem avisar e fez um estrago considerável, cheguei até mesmo a ficar fisicamente doente. 

     A última pessoa que caminhou ao meu lado se mostrou incapaz de alcançar o meu ritmo e nem sequer se mostrou disposta a isso e dessa vez, eu percebi os sinais de que havia algo errado e comecei a me afastar.

    De tanto ficar sozinha, acho que acabei me acostumando e hoje, nem consigo imaginar como seria ter alguém na minha vida, uma pessoa que realmente se disponha a caminhar do meu lado e lute para que as coisas funcionem.

    Decidi parar de me machucar e não deixar que as pessoas caminhem ao meu lado. Para evitar decepções, evito que as pessoas se aproximem muito de mim e isso tem me poupado algumas lágrimas, muita ansiedade e bastante preocupação.

    Ainda que eu tenha todas essas vantagens, existem momentos em que caminhar só fica muito difícil e quando isso acontece eu procuro dirigir o foco da minha vida para outras coisas: faço leituras, vejo filmes, escrevo um pouco, limpo um armário.... faço atividades que me distraiam e ocupem o meu tempo. 

        Andar só tem sido uma experiência enorme da autoconhecimento e percebo que cada vez mais estou pronta para permitir que uma nova pessoa entre na minha vida. Que venha quando estiver pronta. Sem pressa. E que venha pra ficar.

Muita luz pra todos!!!

Sobre o ouvir e o escutar






       São duas palavras tão simples, tão parecidas, tão usadas. 
     Algumas pessoas as consideram sinônimas e não conseguem perceber a diferença sutil e importantíssima entre as duas.

     Praticamos todos os dias em diferentes momentos, algumas pessoas mais, outras menos, mas todos nós  utilizamos esses dois comportamentos muitas vezes e alternamos quando usar um ou outro.

    Creio que perceber a diferença já nos permite perceber os fatos sobre uma outra perspectiva um pouco mais profunda e desafiadora.

    Ouvir, creio eu, é um ato mais livre: ouvimos música, ouvimos as notícias, ouvimos um discurso. Nesse ato não parece haver um compromisso maior com o outro, a preocupação está mais centrada em nós mesmos e nas nossas próprias necessidades de divertimento, entretenimento, curiosidade, sede de informação... não há um compromisso maior em prestar atenção ou mesmo dar algum tipo de resposta.

    Já escutar é um outro tipo de comportamento. Exige uma dedicação e um envolvimento maior. Exige entrega amorosa, empatia, silêncio atento, compartilhamento de ideias e sentimentos, exige uma presença total. 

      Inúmeras vezes, eu sentei com amigos e tive que fazer um esforço enorme pra conseguir me desligar de tudo o que se passava na minha cabeça para me fazer presente por inteira: olhar no olho, compartilhar tudo o que estava sendo dito. 

    Pra mim, escutar é uma arte que vamos desenvolvendo ao longo da vida, aprendendo a silenciar os nossos pensamentos para colocar se em comunhão com uma outra pessoa e por algum tempo fazer com que ela se sinta realmente escutada e acolhida. Nesses momentos o tempo parece parar e me sinto parte de algo muito maior que eu mesma. 

     É uma pena que, na minha vida diária, esses momentos são raros, porque as "outras demandas" disputam ferozmente a minha atenção. Talvez por isso que eu escreva para poder silenciar um pouco as demandas externas e ouvir os meus pensamentos com maior carinho e acolhimento.  

     Por que aprender a se escutar também é importante, e em alguns momentos essencial para que saibamos exatamente qual o caminho que mais nos serve e nos faz feliz.

       Eu que trabalho com muita gente ao longo do meu dia, confesso que passo a maior parte do tempo ouvindo as pessoas, e percebo que , cada vez mais, todos tem uma necessidade enorme de serem ouvidos e falar, mesmo que nem sejam coisas tão necessárias. 

      Nessas horas em que apenas ouço as pessoas me sinto presa a um emaranhado de palavras sem sentido e congelada no tempo.

      Acredito que depois de um determinado tempo de vida adquirimos o direito de escolher o que queremos escutar e o que queremos apenas ouvir, até porque a vida começa a ficar mais preciosa e a gente com menos paciência.

       Ouvir é importante mas escutar é essencial, o primeiro fazemos essencialmente com os ouvidos, já o segundo faz com que entreguemos o nosso coração no processo.

       O grande segredo parece ser, a capacidade de decidir com clareza e sem arrependimentos, o que queremos escutar e aquilo que apenas ouvir e assim, construir a sinfonia dos nossos dias e pensamentos.


     Por um mundo mais equilibrado entre a arte de escutar e o ato de ouvir.


Muita luz e escuta pra todos!!!

Sobre ontem a noite ou meu primeiro ritual do fogo

    Ontem a noite participei do meu primeiro ritual do fogo. Foi o encerramento de um curso de Terapias Holísticas que eu estava fazendo. 

    Foi um experiência inesquecível que, espero que se torne uma rotina na minha vida.

    Eu acredito, até porque tenho tido muitas provas sobre isso, que a vida é uma sucessão de ciclos, alguns se misturam um pouco mas a maioria tem seus eventos de início e fim.

  Ontem a noite, junto com as minhas colegas e diante de uma grande fogueira, encerrei muitos ciclos: queimei passado, entreguei sentimentos, fiz promessas e pedidos.Pedi proteção e orientação para o novo ciclo.

   Entreguei meus medos e pedi coragem. Agradeci toda a minha caminhada até o momento, os amigos que fiz, as pessoas que passaram pela minha vida, os desafios que enfrentei com coragem e aqueles outros que me rendi, os aprendizados e principalmente todas as autodescobertas.

   Me senti conectada com a terra, com minhas colegas, minha mestra, meu coração e toda a natureza que me cercava. Desisti de tentar ver o que se passava ao meu redor para enfim, olhar para dentro de mim mesma com muita calma, paciência e carinho. Me acolhi e me rendi ao momento.

  Saí com a cabeça cheia de perguntas e o coração pleno de agradecimento, e com a sensação que as respostas para todos os meus questionamentos estão dentro de mim, a espera de uma conexão para se manifestarem. 

    Talvez eu não encontre mais a maioria das minhas colegas mas o momento que compartilhamos foi único e criou um laço que nos uniu para todo o sempre: estaremos presentes pelo mundo e unidas por esse laço invisível que o ritual criou entre nós.

  Que sejamos felizes e capazes de tornar o mundo um lugar melhor mas que acima de tudo sejamos LUZ!!!

Muita luz e grandes recomeços a todos!!!

Não sou obrigada








                   O tempo realmente é um ótimo professor. Hoje eu percebo isso mais do que nunca. Algumas pessoas tem medo da passagem do tempo, de envelhecerem e dos sinais que o nosso corpo dá de que já não somos mais tão jovens assim como pensavamos.

           Eu penso que o medo de envelhecer acontece porque associamos isso a perdas: perdas de força muscular, capacidades físicas, fôlego, cabelos brancos... entre outras coisas. 

          Mas, e o lado bom disso? Eu consigo perceber claramente na minha vida o quanto o passar do tempo está sendo muito positivo pra mim e fazendo as pazes com os processos que o meu corpo está passando. Uma conclusão prá mim é óbvia: estou muito melhor agora do que a dez anos atrás: sei muito mais o que eu quero, o que me faz feliz, aquilo que me deixa em paz e o que me tira do sério. 

            Isso não significa que não posso mudar de opinião e começar a gostar de atividades, lugares e pessoas que há algum tempo atrás não faziam a menor diferença pra mim. Mudar sempre é possível!!! Experimentar situações novas, se propor novos desafios, novos aprendizados... isso é estar viva pra mim.

      O que concluo, ainda que provisoriamente, é que hoje não sou obrigada a mais nada (excluindo aqui os impostos e os compromissos financeiros),: posso escolher o que eu quiser sem ter que estar justificando muito as minhas escolhas, e ter minhas preferências tranquilamente. 

        Essas escolhas são muito mais minhas, e não sou obrigada a justificá-las para ninguém... e como isso é libertador!!! Não se sentir na obrigação de agradar ou fazer o que a maioria faz traz uma paz sensacional!

            E como tudo tem um preço: as pessoas começam a estranhar a sua maneira de agir e até mesmo se incomodar com isso, tentam te deixar culpada por não agir como esperam, te acham estranha, diferente, egoísta e por aí vai... Isso nem é tão "ovo de colombo" é apenas se colocar em primeiro lugar na sua vida e assumir totalmente a responsabilidade por ser feliz!!!

         Assumir tranquilamente as consequências das suas escolhas de vida e conviver com elas sem se sentir culpada.
    
      Não se sentir obrigada a nada... a não ser assumir a responsabilidade intransferível de construir a sua própria felicidade.

Muita luz  e "desobrigações" pra todos!!

E Setembro chegou!!!







      O mês de agosto finalmente acabou!!! Prá variar foi um mês cheio de desafios, descobertas e precisei de muito jogo de cintura e criatividade para enfrentar tudo o que aconteceu!!!

     Nem tudo foram coisas ruins, houve muito aprendizado, houve risos, alegrias, e muitas autodescobertas.

      Aprendi a me valorizar mais, me respeitar, acreditar na minha intuição e me perdoar bastante. Recomeçar foi a palavra de ordem do mês, mas , desta vez teve um gosto de conquista, de reavaliar o que me faz bem e me afastar de todas as coisas e pessoas que não faziam mais parte desse meu novo momento de vida. 

    Experimentei coisas novas, aprendi novos usos para coisas que eu já tinha e aprendi a olhar para dentro e para tudo o que conquistei com mais carinho e respeito. 

    Ainda estou muito longe da perfeição mas bem mais perto da pessoa que sinto que quero me tornar. Nesse mês aprendi que recuar, ter paciência e esperar são estratégias de vida que ainda preciso aprender e utilizar mais na vida. 

    Cada conquista tem o seu tempo e a espera é algo inevitável.

    O que espero de setembro? Prosperidade financeira, prosperidade profissional, paz na família e novas conquistas.

       Agosto, mês do meu aniversário foi bem agitado e sacudiu bem as bases da minha vida. Que venha Setembro e que seja um tempo de paz, harmonia e prosperidade pra todos.


Muita luz e prosperidade!!!!

Sobre as dificuldades em ver o óbvio

       Eu sempre acreditei que era uma pessoa sábia e que conseguia ver e reconhecer as coisas e pessoas.  Nesse mês que termina essa minha crença foi brutalmente desconstruída.

       Eu realmente não conheço as pessoas. Nem aquelas que considero minhas amigas nem aquelas que compartilham a minha intimidade. 

   As pessoas sempre podem te surpreender e sempre que puderem não vão pensar duas vezes em fazê-lo. Ou talvez, ao apenas olhar para elas sob uma perspectiva amorosa e confiável a gente acabe por deixar de ver o óbvio: as pessoas estão muito distantes das expectativas que temos a seu respeito, e isso vale tanto para o aspecto positivo quanto para o negativo.

      O "não-ver" talvez seja uma postura mais confortável, que nos permita repousar na falsa tranquilidade de que tudo está bem e que as pessoas estão felizes e satisfeitas, e assim, nos proteger de uma necessária e urgente mudança de atitude e postura diante da vida e das pessoas.

     Enxergar aquela verdade que está se derramando ao nossos pés é um choque, uma puxada de tapete pra vida real. 

     Estou vivendo um momento de vida assim, repassando alguns fatos que vivi e percebendo verdades óbvias que, por estar envolvida, eu não conseguia perceber, e sinto que minhas fichas estão todas caindo, uma após a outra. 

     Não sei exatamente se choro ou se me alegro com os aprendizados.

   Toda essa dificuldade de enxergar tudo o que está na minha frente só me faz ficar ainda mais atenta e reservada, e evitar, ao máximo, a aproximação e o envolvimento com outras pessoas. 

        Se fosse possível, esse seria o momento no qual eu entraria em uma floresta bem densa e bem fechada e ficaria lá hibernando, convivendo apenas com plantas e animais e tentando entender o motivo de tanta coisa estar acontecendo agora na minha vida.

      Como isso não é possível, sigo em frente, procurando andar com mais cuidado e mais atenção as coisas óbvias que estão presentes no meu dia a dia.

   Por um mundo com mais pessoas que me ajudem a enxergar o óbvio sem me magoar.

Muita luz pra todos.

A importância do desapego

        No último sábado na minha aula de yoga a professora conversou conosco sobre a importância de aprendermos a compreender o desapego na nossa vida cotidiana: desapego das pessoas, das nossas ideias, das "nossas coisas", dos nossos medos e por aí...desapego de todas as coisas e situações que nos parecem ser tão nossas e tão estáveis...

      Esse assunto me faz refletir sobre muitas situações recentes que estou vivendo: estou em um momento da vida de aprender a me desfazer de muitas certezas, pessoas, objetos, sentimentos e ideias.

     Alguns "desfazimentos" são mais fáceis do que outros, mas a grande maioria é bem dolorosa e soa como pequenas "mortes".

    Cada dia que vivo, eu percebo a morte de uma porção de certezas e medos, pessoas que pareciam eternas e fundamentais na minha vida estão simplesmente partindo. Até as pessoas que são mais próximas e que mais amo estão me surpreendendo!! A certeza que eu tinha que as conhecia acabou de uma maneira muito brusca e sem avisar!!!

    Isso demonstra que, mesmo sabendo e estudando tanto sobre impermanência, o conceito ainda não foi bem compreendido no meu dia a dia. Cada sinal de presença da impermanência ainda me choca!! Me sinto frustrada. Traída. Em luto (mais uma vez).

   Tenho certeza que uma hora essa dor vai passar e deixará um profundo aprendizado, um deles, com certeza , é de que a  confiança também é algo impermanente, que necessita de um cuidado e atenção constantes.

   Escrevo aqui como um desabafo e na esperança de que isso possa vir a ajudar alguém.

Muita luz e "desfazimentos" felizes para todos.
 

Só vai... mesmo devagar!!

2,140 curtidas, 17 comentários - Pichações das Ruas (@pichacoesdasruas) no Instagram: “Não pensa muito não. Sigam @afetoearte” 

    Oi gente boa....
Então... de volta por aqui... pega uma cadeira e vamos conversar!!!

    Já cansei de contar a quantidade de coisas que deixei de fazer por esperar o momento certo, o conhecimento total, a presença daquela pessoa super interessante, o apoio de alguém, o empurrão que faltava, a inspiração que não apareceu... fico enrolando os projetos e arranjando as mais diferentes desculpinhas, na sequência vem aquele "tá amanhã sem falta eu faço", o amanhã chega, passa correndo e o tal projeto fica lá... abandonado o coitadinho...

    Vamos começar a desenrolar esse paranauê todo....

    Hora certa, apoio, inspiração são muito importantes e bem necessários para começar alguma coisa com algum tipo de persistência, mas não são tudo. Definitivamente não.

    Também já cansei de contar as inúmeras vezes que fiquei procurando uma inspiração de qualquer tipo e mesmo sem aparentemente nada para falar, havia um montão de coisas para serem ditas.
   Basta parar de enrolar. E literalmente começar!! Com medo, com dúvida, se achando meio louca, mas finalmente IR!!! Sempre adiante e sem olhar muito para os lados!! IR, IR, IR!!

    Trabalhando dessa maneira, que eu carinhosamente chamo "de livre e espontânea pressão", tenho produzido muitos textos e alguns até bem legais entre outros resultados mais interessantes na vida real!!

   Esse verbo IR tem que ser conjugado sempre no imperativo: VAI!!! Da gente pra gente mesma!! Pegando a inspiração pela cola e convidando ela pra sentar contigo e tomar um chá!!! Essa danadinha é bem tímida, mas depois que se solta... é difícil segurar!!

    Por isso eu recomendo VAI ligar pra pessoa que tu estás a fim!!! VAI atrás daquele curso que estás querendo fazer a horas!! VAI usar aquele vestido que te deixa gata e põe um saltão junto pra se sentir mais poderosa ainda!!! 
     VAI fazer escolhas mais legais pra ti mesmo que todo mundo ache tudo esquisito!!! VAI correr, te alimentar direito... VAI dormir, tomar um banho, comer uma comidinha gostosa!!! 
    VAI pra vida, vai sem medo e VAI com coragem....a vida passa num flash e não conjugar esse verbo VAI te fazer deixar de viver muita coisa legal.

  Desejo que todos encontrem o que lhes motiva  e que VÃO atrás daquilo que é importante!!!

  Muita luz e que todos por aqui sejam capazes de IR para onde o coração mandar!!!!

As melhores companhias...

Olá gente boa...
     Vou começar esse nosso papo com uma porção de coisas bem óbvias mas às vezes o óbvio precisa ser relembrado.

     Estou naquela fase da minha vida na qual estou escolhendo a dedo as situações e as companhias que decido participar e compartilhar a minha intimidade.

    Acho que cansei...cansei de criar tantas expectativas, esperar atitudes, aguardar o "tempo certo"... agora decidi que vou me preservar ao máximo: não vou me colocar em qualquer situação em que haja a menor possibilidade de eu sair machucada de alguma maneira, estou no modo de autopreservação na potência máxima. 

    Prefiro ficar em casa, no meu canto com meus livros e uma confortante xícara de café a sair por aí a procura de divertimento (até porque as minhas noções do que é divertido também estou mudando!!). O inverno também favorece esse tipo de atitude, pelo menos nessa região onde moro, onde chove bastante e faz muito frio também.

    Ainda gosto de estar na companhia das pessoas, ouvir suas histórias, rir um pouco, conversar mas apenas o suficiente pra não me tornar uma ermitã!!!

    Cada dia aprendo a apreciar ainda mais os momentos a sós que passo comigo mesma ou em companhia de um bom livro.

    Os prazeres mais simples parecem me satisfazer muito mais: deitar ao sol, ler um livro, escutar uma música bacana... tudo isso me parece bem melhor do que outras coisas que eu adorava fazer... parece que as pessoas me cansam muito... sei lá... vai ver que isso é o que chamam de maturidade... vai saber...

   Então, sem pretensão alguma, posso afirmar que as minhas melhores companhias nessa fase da minha vida são: eu mesma, minha filha, meus bichos e meus livros. Aprecio profundamente meus momentos de solitude e são neles que eu geralmente fico mais inspirada.

Muita luz e boas companhias pra todos!!

Hora de fechar algumas portas!!!






    Olá gente boa...
         Quanto tempo ein!! Pois é muitas demandas da chamada "vida real" e pouco tempo pra ouvir o que realmente importa.

     Ás vezes, tudo o que precisamos é que uma porta se feche para concluirmos que o lugar para onde ela estava nos levando já não nos servia mais.

     Isso aconteceu comigo hoje: comecei a perceber para que lugar a porta que eu estava entrando me levava e achei melhor fecha-la. Não estou triste ou com raiva, mas apenas bem cansada, porque percebi que o que eu estava enxergando, não estava realmente lá e nem mesmo havia novas perspectivas.

   Pensei um pouco, refleti sobre algumas coisas importantes e achei melhor ir embora. Sem brigas. Sem discussões. Sem procurar culpados. Não quero gastar a minha energia nisso. Apenas fiz o que senti ser o mais certo e fui extremamente fiel aos meus sentimentos. 

     Tem muitas coisas que o dinheiro compra mas as que realmente valem a pena  não tem preço.

    Por um mundo com mais pessoas coerentes e portas para lugares mais bonitos.

Muita luz e novas portas pra todos.

A lição da cafeteira

     Antes que alguém diga: olha só tá fazendo propaganda da cafeteira X, já aviso: não tenho patrocínio algum e isso foi apenas uma incrível coincidência.
     Eu, como muitas pessoas que moram no sul do Brasil, conheço bem o que é frio e não dispenso um café!!! Independente da ocasião, café é sempre uma ótima escolha.
    Pois bem, eu sendo essa apreciadora de cafés, comprei a tal máquina e devido ao frio dos últimos dias, resolvi começar a usá-la novamente.
   Escolhi meu café com o maior cuidado e coloquei a tal máquina pra funcionar. Coloquei a primeira cápsula, liguei a máquina e pronto: primeira cápsula feita. Parti pra segunda: e percebi que o café tava super gelado!!! Horrível mesmo!! 
    Estranhei na hora!!! Pensei: ué? O que houve? Essa máquina já estragou? Examinei tudo: e vi que tava tudo conectado direitinho, coisas encaixadas nos lugares certos, mas o café ficou uma porcaria!!! Examinei mais uma vez e joguei aquela mistura gelada fora concluindo tristemente: putz minha máquina estragou!!! 
    Até que resolvi dar uma segunda chance prá máquina e finalmente percebi que meu café ficou gelado porque eu estava acionando o mecanismo pro lado errado!!! E fiz isso duas vezes!!! E demorei pra perceber o que estava fazendo errado!!!
   Na hora pensei: se pra uma coisa tão simples eu demorei a perceber que estava errando, o que dizer a respeito das coisas maiores, aquelas nas quais estou envolvida emocionalmente? Me perguntei na hora: quantas coisas não estão dando certo na minha vida simplesmente porque eu as estou conduzindo pro lado errado? Forçando as coisas pra direção errada por falta de atenção? Quantas coisas me parecem estarem totalmente encaixadas, prontas para acontecer mas não estão rolando? Será que não estou simplesmente conduzindo a minha vida, em alguns aspectos, na direção contrária? 
    Não seria melhor, eu parar e examinar um pouco e tentar uma outra direção? Ou simplesmente deixar as coisas fluírem?
   Fica a dica, às vezes, as coisas não estão dando certo na vida da gente porque estamos as conduzindo pro lado errado!!!

Muita luz e novas direções pra todos!!!

Mais sororidade, por favor!!! Mulheres elogiem mais umas as outras!!!




 
Oi gente, sei que ando meio sumida mas é que estou em reforma: há muita coisa mudando aqui dentro, coração e mente em tempo de reconstrução. Ando acionando muito meu "Eu observador" e percebendo muitas coisas. Inspirada pela Claudia Lebie, resolvi dar a minha contribuição sobre a sororidade: a compaixão e a simpatia por outras mulheres. Ontem me deparei com a seguinte cena: uma mãe gravidíssima, e com uma criança em um carrinho no supermercado. Em uma troca de conversa rápida com a caixa do supermercado, essa mãe confidenciou que já estava sentindo algumas dores e que ao ter ido no atendimento, foi dispensada. A caixa, solidária, recomendou que ela fosse imediatamente até o hospital e que exigisse ser internada. A mãe apenas olhou para seu outro filho e deu de ombros. Eu fui atendida em seguida, e a caixa comentava o quanto a tal mãe estava sendo descansada e desatenta com a situação. Minha reação primeira foi concordar com a caixa. Depois, pensei um pouco mais: o que será que essa mãe está passando? Será que ela tem com quem deixar seu outro filho? Tem um companheiro parceiro? Tem plano de saúde? Tem como sustentar esse outro filho? Essa e outras perguntas ficaram rondando a minha cabeça. Na saída, eu a vi no frio, com seu filho, esperando o companheiro para lhe ajudar. Na mesma hora resolvi perguntar se ela precisava de alguma ajuda e me aproximei para conversar. Ela agradeceu e ficou muito grata por ter tido alguém para conversar. E voltou a enrolar o seu cigarro. Sim, ela estava grávida e fumava. Na hora, liguei meu botãozinho do julgamento, mas antes de apertar fundo pensei: eu não sei quantas batalhas essa mulher teve que travar até esse momento. Não sei nada a seu respeito. Só sei que é mulher e mãe e isso já deve ser o suficiente para que eu lhe respeite e lhe honre sem reservas. É tão fácil julgar alguém... que tal fazer o caminho inverso? Honre uma mulher, a elogie, e seja solidária... o mundo precisa de mais amor e menos julgamentos!! #maissororidade


Muita luz pra todos!!!

Efeito Alicia Keys

      A Alicia Keys faz muito tempo que é uma das minhas cantoras favoritas. Foi também com ela que eu aprendi a gostar muito mais de mim, principalmente em relação aos traços negros que há em mim: o cabelo crespo (que vivo mexendo!!!) e a cor da pele. Sem dúvida nenhuma ela é uma das personalidades negras que mais me inspiram.

    Foi com ela que aprendi a gostar muito mais de mim. Através das letras de suas músicas encontrei inspiração, coragem e empatia pra muitas coisas que vivi e ainda estou vivendo.

     A maioria da letras são cheias de mensagens positivas e cheias de amor e autoestima,  e  as últimas  são ainda mais profundas. 

    Além de ser uma super artista, que tem uma voz incrível, ela toca vários instrumentos e tem agido em defesa de várias causas, especialmente aquelas ligadas as mulheres negras.

   Como se tudo isso não fosse suficiente, ao contrário do que prega toda a indústria da música, ela tomou uma decisão super radical: parou de usar maquiagem e começou a se deixar ser fotografada ao natural!!! Sem os recursos da maquiagem, ela deixou aparecer seu rosto cheio de sardas e alguns sinais da idade (bem suaves!!) e ficou linda!! Natural e fiel à essência dela!!! Ainda linda e cheia de estilo!!! Uma inspiração sem fim!!!

    E os efeitos disso em mim? Comecei a gostar muito mais de mim mesma!!! Ao natural e sem os recursos de uma maquiagem e me sentir bonita e feliz por estar assim!!!    Gostar de mim e de todas as marcas que o tempo deixou em mim, no meu rosto e no meu corpo fez um enorme bem pra minha autoestima!!! Comecei a me achar muito mais bonita ao natural!!!

    Ainda me maquio eventualmente. Gosto de experimentar cores no rosto e também alguns truques de maquiagem. Me preparar para uma festa é sempre divertido!!! A diferença é que agora isso é muito mais opcional, muito mais tranquilo porque meus padrões de beleza mudaram internamente!!!

     A beleza agora é algo que vem de dentro e portanto, se as coisas dentro de mim, do meu coração e da minha mente estiverem em ordem, o resto flui e aparece de uma forma bela. E como isso é libertador!!

      Por isso, nesse dia 08 de março, quero deixar a minha homenagem aqui a uma mulher que me ajudou de maneiras que ela nem mesma imagina a gostar cada vez mais de mim!!!Thank you Alicia Keys!!!

Muita luz e inspiração pra todos!!!



Bem vindo 2017

Oi gente...
         Recomeçando a escrever hoje... quase no finalzinho do primeiro mês do ano.

        É que aproveitei esse tempo todo pra fazer algumas mudanças importantes e tive muitos aprendizados.

      Aos poucos, vou começar a dividir com vocês tudo o que aprendi.

       Hoje, por exemplo, vou conversar sobre a importância de deixar as coisas se assentarem.

      Esse foi um aprendizado que levou algum tempo até que eu aprendesse a sua importância.

      Eu costumava ser uma pessoa muito imediatista: que queria resolver tudo muito rápido!! Respostas para as perguntas e soluções para os problemas a jato, sem considerar o fato de que algumas coisas levam tempo para serem resolvidas e de nada adianta se precipitar.

      O silêncio e o recolhimento antes de alguma decisão e depois de um aprendizado importante são essenciais para que as decisões sejam as mais serenas e acertadas e que os aprendizados realmente se solidifiquem.

      Percebi que nessa minha pressa em acertar logo, em achar o rumo, eu errei bastante e errei feio mesmo!! Na ânsia de fazer com que algo novo desse certo, acabei por abrir mão de coisas muito importantes pra mim e até mesmo deixei de escutar o que a minha essência estava realmente pedindo... hoje percebo que está tudo bem, porque isso também fazia parte do meu aprendizado.

         Ao invés de querer que tudo se resolva logo, tenho feito um esforço para apreciar o processo todo e visualizar a solução sendo construída aos poucos. 
Eu que sempre fui uma pessoa cheia de respostas, tenho feito muito mais perguntas e o fato de não saber as respostas não tem sido um motivo de frustração (pelo menos não com tanta frequência). 

     Apenas silencio e percebo que talvez esse seja o tempo necessário para que cada coisa vá para o lugar certo.
Os dias de dúvida e desânimo ainda existem mas com muito menos frequência, e, quando eles chegam, eu percebo que está na hora de fazer algumas perguntas e apreciar todo o progresso que tenho feito.

    Aquilo que ainda me causa angústia e confusão é percebido como partes de um processo de mudança que está acontecendo e que vai passar, ainda que demore um pouco.

    Tudo aquilo que impede que eu deixe o tempo correr no seu próprio ritmo, está dentro de mim e que eu sou capaz de mudar e encarar a vida de outras maneiras mais suaves e menos controladoras.

    Tem sido um aprendizado diário e já decidi que vou priorizar nesse ano tudo o que sirva para que eu promova a minha própria cura e me conheça ainda melhor.

    Essas reflexões tem sido o motivo do meu silêncio tão longo.Pretendo compartilhar todo esse aprendizado, e penso que talvez, isso possa ajudar alguém. Se precisar falar comigo é só chamar.

Beijos de luz e paz para todos!!!