Viver é encontrar

   Eu sei que isso já foi dito. Milhares de vezes. Das mais diversas formas. Mesmo assim, esse é um assunto, que na minha opinião, nunca se esgota.

  Vamos, então, partir de um começo simples e muito óbvio: para encontrar algo é preciso se colocar em um "estado de procura", dispor-se a ser encontrado, acreditar firmemente na possibilidade do encontro, abrir-se para as possibilidades.

  Algumas pessoas poderiam pensar: mas nem sempre é assim, às vezes, as coisas simplesmente aparecem na vida da gente sem que estivéssemos esperando ou mesmo conscientemente procurando. 

   Coisas boas e coisas ruins. Grandes alegrias e perrengues de raiz. Soluções inesperadas e problemões gigantes. 

  Eu acredito que sempre estamos procurando alguma coisa, em algum nível e de alguma forma. Basta estarmos vivos que estamos sempre nessa busca, sempre torcendo para que o encontro aconteça logo e que seja pleno.

    Encontramos coisas dos vários tipos: alegres, inesperadas, grandes, interessantes, chatas, demoradas, divertidas, inocentes... cada uma delas surge por algum tipo de necessidade, talvez não consciente e que, nem sempre, aparecem da forma que estávamos esperando.

    Ah... mas como é doce a arte do encontro... encontrar algo que estávamos procurando a um tempão: um livro, uma blusa, um cd... uma resposta, uma pergunta chave, um grande amigo, um novo amor...

   Como é importante a arte do encontro e como se leva tempo (se é que algum dia isso acontece) para aprendermos essa "arte". Uma arte de surpresa, do inesperado, do desejado que pode pode surgir de um modo que nunca havíamos pensado. 

   Um encontro com alguém especial que é capaz de te fazer feliz pela simples presença, por uma mensagem bobinha no celular, por uma música que escutamos juntos.

   Eu realmente acredito na força e na magia dos encontros e a cada dia que passa tenho me permitido aprender mais e estar ainda mais aberta aos encontros que a vida tem me proporcionado, e que felizmente, tem sido muitos e me trazido muita felicidade.

   O mais engraçado de tudo isso é que esses encontros com outras pessoas, só aconteceram a partir do momento em que eu mesma consegui me encontrar, me acolher e me tratar com todo carinho e respeito. Houve um reencontro comigo mesma, um reconhecimento de amor e consideração a toda a minha estoria. Sem mágoas, sem culpas, sem ressentimentos.

  Simplesmente deixei essas coisas todas que eu havia encontrado e vinha acumulando ao longo da vida, livres para irem embora e com isso acabei por me libertar muito mais do que eu imaginava.

   Se eu acredito que a vida é arte do encontro, a primeira coisa e a mais importante que devemos procurar, sem dúvida nenhuma, somos nós mesmos.

Desejo muita luz e muitos encontros pra todos!!!

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário e um endereço de contato pra gente se falar!!!