Porque eu não sou obrigada a nada!!

Oi gente....
Vim aqui pra conversar com vocês sobre algo que aconteceu alguns dias comigo e me levou a conclusão que é título desse post.
 
     Bom, há algum tempo eu coloquei na cabeça que queria mudar o meu cabelo, pois estava cansada do mesmo look por quase um ano. Daí começou a minha trajetória em busca do cabelo novo.

   Comecei querendo platinar o meu cabelo: vi umas fotos e uns vídeos na internet, consultei uma cabelereira de confiança e me joguei!!! Eu já sabia que o meu cabelo, cultivado com muita hidratação e cuidado ao longo de um ano, iria sofrer um super estrago. Mas eu sou assim: adoro uma mudança no visual e vou com fé e coragem. Buenas, pra resumir a estoria, o cabelo ficou completamente destruído e nem um pouquinho perto daquilo que eu havia imaginado.
 
   Confesso que bateu um certo arrependimento: meu cabelo se foi e agora estava completamente estragado e me daria o dobro do trabalho ter que recuperá-lo.

    Outra vez me joguei nas internet e youtubes da vida a procura de salvação para o meu cabelo, até que dei de cara com vídeos sobre turbantes!! Daí me apaixonei: comecei a treinar as amarrações e a sair por aí com turbantes coloridos. Isso foi uma fase. Durou um certo tempo. 

    Mas, é claro que eu tinha que inventar outra coisa. Então, topei com uns vídeos de umas meninas que haviam sofrido problemas com o cabelo e resolveram a questão colocando tranças!! Pensei comigo: é isso aí!! Vou colocar umas tranças e dar um tempo pro meu cabelo descansar.

    Procurei por ai e encontrei uma profissional com experiência e coloquei as tais tranças!!! Foram cerca de umas seis horas sentada em uma cadeira. Uma verdadeira maratona!!

    Ao final me olhei no espelho e, não gostei muito do resultado final: tudo pareceu muito estranho!!! É o impacto do primeiro momento, eu pensei, daqui a pouco eu me acostumo.

    Bom... as coisas não foram bem assim não... houve dor na cabeça, calorão, desconforto e uma sensação muito estranha de "não estar me gostando no espelho". Resolvi esperar por um tempo pra ver se isso passava. Ouvi várias opiniões: muitas pessoas achavam legal e tal, outras apenas diziam "olha só cabelo novo ein!!" e muitas não me reconheceram na rua (essa parte foi até bem engraçada!!).

    Daí começou uma batalha interna na minha cabeça, um lado dizia "colocaste... agora tens que aguentar!!! pelo menos um mês!!" e outro dizia "ai que saco!! Eu não tô feliz e essa pessoa me olhando no espelho não me representa!!!"Fiquei dividida mas, mais inclinada a aguentar as tranças por pelo menos um mês.

     Então, por acaso, uma das tranças caiu. E eu decidi por minha conta, desmanchar todas as outras!! Afinal, se estavam me incomodando, por que ficar com elas na cabeça!!

    Afinal EU NÃO SOU OBRIGADA A NADA!! Simples assim. Uma bobagem. Uma certeza de que eu tenho o direito de mudar de ideia, pelo menos em relação a coisa que dizem respeito a mim essencialmente, quantas vezes eu quiser!!! Sem dar maiores explicações!!! Simplesmente por que naquele momento isso não me servia mais!!!

    E que alívio eu senti com essa descoberta!!! EU REALMENTE NÃO SOU OBRIGADA A COISA NENHUMA NESSA VIDA!!! Posso e tenho o direito fundamental de mudar de ideia o quanto eu quiser, em relação a qualquer coisa!!! Sim eu assumo e reivindico esse direito meu. Ponto final.

   Isso vale tanto pra cabelos quanto relacionamentos: eu posso escolher!!! As coisas na minha vida não são fatos aleatórios do destino, mas escolhas conscientes que eu faço, portanto, posso mudar de cabelos e de ideia o quanto eu quiser sem dar maiores explicações.

Desejo a todos muita luz e uma vida livre e cheia de escolhas!!

Uma palavra sobre intuição

     Oi gente boa., quanto tempo ein...
Bom, hoje vim até aqui para conversar sobre um assunto que vem, repetidamente aparecendo na minha vida: a intuição

    Confesso que, mesmo não estando muito conectada com a minha, acredito na sua força.

    Há muitos anos atrás, nos tempos em que não havia tanto conhecimento na minha vida e, portanto minha autocensura e autocrítica eram bem menores, era bem mais fácil entrar em contato com a minha própria intuição.

    Hoje em dia, isso já é bem mais complicado, porque eu adquiri um profundo senso de dúvida em relação aquilo que minha intuição está dizendo (principalmente se o que está me dizendo contradiz uma vontade consciente).

   O que acontece é uma pequena guerra interna entre aquilo que meu coração (que, pra mim é a fonte de toda intuição) e a minha mente: um lado fica contrariando o outro, e a mente, como é a mais ouvida sempre, é a que tem o maior número de recursos e que, por isso, acaba vencendo na maioria das vezes.

    Confesso também que estar conectada comigo mesma, e ouvindo a minha intuição atentamente, me deixa um pouco com medo: estou me conectando com algo totalmente novo e isso me assusta bastante, tenho a sensação de estar em uma outra frequência, diferente da maioria das pessoas.

    Em geral, quando isso acontece, eu tenho a nítida sensação de que o tempo está em uma outra velocidade: me sinto muito mais presente no momento e muito mais atenta a todos os detalhes: sons, cheiros e cores e tornam muito mais fortes. 

    Também há uma "parada"na escuta da mente racional e barulhenta: sinto muito mais do que falo, porque não vejo a necessidade de palavras mas, sim a necessidade de sentir e estar totalmente presente na experiência do momento. Nessas horas, às vezes, chego a questionar um pouco a minha sanidade!! 

   E percebo em mim a presença de um medo incrível que me faça ficar "presa" nesse mundo intuitivo e cheio de sensações: porque esse mundo da intuição, pelo menos pra mim, se baseia no sentir, no pulsar, sem julgamentos ou explicações.

    Nesses raros momentos em que me deixo levar pela intuição, percebo que a minha energia e criatividade alcançam níveis que normalmente não costumam atingir: uma vida média com preocupações mundanas não permite que haja espaço para a conexão e para a escuta atenta do que o seu próprio corpo e aquilo que o cerca está dizendo (e ele sempre está nos dizendo alguma coisa!!!). 

   O engraçado é que, às vezes, são necessárias repetidas sincronicidades para que eu permita que a minha intuição seja ouvida.

    Eu acredito que a nossa intuição é como essa figura que ilustra o post: um iceberg enorme e sobre o qual só conseguimos ver uma pequena parte durante o nosso dia a dia. É preciso um evento especial que nos faça parar, a fim de darmos alguma chance de escuta para a nossa intuição.

   Pretendo começar a dar mais espaço para essa intuição no dia a dia , fazer paradas e me escutar sem medo. Quem sabe que coisas incríveis eu irei descobrir?

Muita luz e muita intuição para todos.

O que aprendi com a minha bagunça




Oi gente....
      Pois é, semana passada eu resolvi dar um jeito em um canto da minha casa que estava na mais completa bagunça... uma bagunça de no mínimo dez anos!!! Dez anos de caixas, plásticos, vidros, papéis e lembranças diversas acumuladas!!! Imaginem!!!

     Alguém poderia perguntar: mas porque deixou acumular tanta coisa assim? Por que não começou a organizar as coisas mais cedo ou com mais frequência? 

      Bom, responderia eu, um pouco envergonhada, tive um misto de preguiça misturada com um monte de medo: prá que mexer nessas coisas? É muito pra fazer!! Alguém vai ter que me ajudar!!! Não quero mexer em nada disso porque vai doer!!!

     Pois é, decidi arrumar tudo. Em DOIS DIAS!!! E SOZINHA!!! Foi um trabalhão louco!!! Coloquei um montão de coisas fora!! Mas ainda não consegui terminar o trabalho!!! Isso foi bem frustrante!!!

    Então, quando se decide arrumar dez anos de bagunça e acumulação em dois dias e sozinha, o resultado é um mau jeito horrível na coluna!!! Estou de repouso e com bastante dor!! E, não há nada que possa ser feito, a não ser, alguma coisa pra diminuir a dor, porque a lesão vai levar ainda um bom tempo pra curar. Já estou fazendo fisioterapia e me tratando com remédios mais alternativos (porque no final das contas, só o repouso é que resolve mesmo).

     Ao invés de ficar praguejando e me culpando pelo o que aconteceu, resolvi colocar as coisas sob outra perspectiva e procurar entender o que essa lesão está tentando me dizer, sim porque eu não tenho dúvidas de que o corpo fala e dá um jeito de trabalhar alguma emoção que não está bem resolvida.

     O que aprendi com isso? Que sou uma perfeccionista e que quero sempre fazer tudo sem ajuda de ninguém. E os motivos que me levam a não pedir ajuda são dos mais variados: podem ser "não quero incomodar ninguém", ou "a bagunça foi minha eu que arrume", ou ainda "eu posso fazer tudo sozinha e não preciso de ajuda"... entre outros... o fato é, que não pedir ajuda acabou por me causar um problema sério de saúde!!!

       Eu poderia ter chamado alguém pra me ajudar, mas, como tudo na vida, eu prefiro fazer sozinha pra não incomodar ou depender de outras pessoas!!! E, descobri ainda, que pra mim, é muito difícil dizer pra alguém que estou sofrendo e preciso de ajuda!!

      Feita essa descoberta, preciso agora aprender a pedir ajuda sempre que precisar. Começo hoje e por aqui.


Muita luz e descobertas na bagunça pra todos!!!

Um processo de cura

   Olá gente....
Depois de muito tempo, resolvi retornar pra contar como andam as coisas na minha vida e porque andei tão sumida...

    Muitas coisas incríveis aconteceram no mês passado: mudança no trabalho, viagens importantes, encontros especiais e reencontros profundos comigo mesma.

   Quando comecei esse blog, pensei em dividir com o mundo as milhões de coisas que se passavam pela minha cabeça: eu precisa de interlocutores e também de registrar de alguma maneira o que estava acontecendo comigo.

    De lá pra cá muita coisa mudou: tanto na minha vida em geral quanto no meu mundo interno. Esse sim, sofreu uma revolução (que ainda está em andamento e bem longe do fim pelo jeito).
Precisei parar, silenciar, refletir sobre tudo o que estava acontecendo.

   Confesso que esse período foi pontuado de muitas crises: houve muito choro, muito sono e muito questionamento. Precisei abandonar uma porção de coisas que eu achava importantes e liberar outras tantas que me pareciam essenciais. Em consequência, me senti muito perdida e inúmeras vezes questionei a minha sanidade.

   Em um desses encontros que tive, ouvi uma pessoa me dizer algo que está fazendo muito sentido pra mim, especialmente agora. Talvez seja o momento de parar de procurar fora de mim as respostas para as muitas perguntas que me faço diariamente: parar de adquirir, de correr atrás, de buscar sempre mais e mais muitas vezes sem muito critério. Digamos que eu andei por um buffet de muitas coisas importantes para o meu desenvolvimento pessoal: provei muitas coisas mas nunca me senti saciada; e por isso vivia (não que isso tenha acabado completamente) em um processo de constante insatisfação, e sempre a procura de algo mais.

   E se o algo mais já estiver dentro de mim e fui eu quem não soube ou está sabendo enxergar? E se tudo o que vivi e li já está me transbordando e seja a hora de eu honrar e valorizar um pouco mais essa minha caminhada? Me faço essas perguntas diariamente.

  Tenho tido um acesso mais constante a vários tipos de tratamentos de cura: radiestesia,Reiki,auriculoterapia,florais,
homeopatia.... entre tantos outros. Por mais incrível que isso pareça, tenho feito muito pouco uso de todas essas terapias!! Acho que há uma parte de mim que ainda quer negar a possibilidade de ter esse poder!!! 

   Intuitivamente, penso eu, isso talvez se deva, porque há partes de mim que ainda precisam ser curadas!! Ainda há algumas dores e medos que me impedem de exercer a minha capacidade de promover a cura.

  Por isso, quero deixar registrado aqui, o meu compromisso pessoal com a minha própria cura para que assim eu me sinta confiante o suficiente para auxiliar outras pessoas a fazerem o mesmo.
Vou registar por aqui o meu processo.

Muita luz e muitas curas para todos!!

"A distância não é o problema, a grande dificuldade é dar o primeiro passo"

"The distance is nothing, it is only the first step that is difficult" Madame Marie du Deffand

 

     O título desse post, é uma tradução livre dessa frase. Algo simples e lindo, e que eu gostaria de ter escrito.
A distância não é o problema, a dificuldade é dar o primeiro passo.

    Sempre que temos um plano ou um sonho, passamos um tempão pensando sobre ele, imaginando detalhes, pensando em possibilidades, ensaiando alguns passos, fazendo roteiros mentais sobre aquilo que queremos. 

    A maioria de nós é assim: uma cabeça cheia de desejos e sonhos. Temos nossos ideais, nossas causas, assuntos que nos interessam e que nos mobilizam. Não posso acreditar que há alguém na terra que não tenha algum sonho ou desejo, e isso nos torna muito mais parecidos e unidos do que sequer ousamos imaginar!!

    Eu tenho esse hábito de olhar para as pessoas na rua e procurar me deter naquelas que de alguma forma me despertam uma vontade louca de julgar as suas escolhas e que, aparentemente são o oposto daquilo tudo que acredito e defendo. 

      Procuro imaginar o quanto amor elas receberam quando eram bebês, o quanto alguém lhes deu carinho e atenção, escolheu dar o melhor que podia: a melhor roupinha possível, a fralda mais confortável, o carrinho mais arrumadinho.

     Penso no quanto foram embalados e aconchegados em algum colo e de que modo isso pode ter determinado o tipo de pessoa que se tornaram. Sempre concluo: nossa, quanta coisa temos em comum!! E como podemos ser assim tão diferentes!!!

     Essa necessidade de sonhar e planejar nos une de maneiras tão forte que, penso eu, só isso, já seria o suficiente para pararmos de julgar as escolhas alheias, e oferecer todo o apoio e ajuda possível.

    Atento para a última palavra: possível, porque acredito que podemos apoiar os sonhos alheios mas, quem deve correr atrás e dar o primeiro passo deve ser o dono do sonho! Cabe a ele descobrir o quanto isso é prioridade na sua vida e o que é preciso ser feito para que isso se torne uma realidade!! 

   De nada adianta dar todo o suporte e toda a ajuda possível se, a pessoa por si só não tomar a decisão interna de trabalhar para que aquilo que sonha e planeja seja a sua realidade!! E não me refiro a apenas grandes sonhos que irão salvar o mundo ou apenas tornar alguém mais financeiramente rico, mas sim, todos aqueles outros desejos que nasceram lá na nossa infância e que a rotina, a vida e o mundo, fizeram com que fossem esquecido ou deixados de lado.

      Eu acredito que nunca é tarde demais para começar qualquer coisa mas aviso: tudo o que vale a pena na vida dá trabalho, exige sacrifícios e renúncias, estará sujeito a muitas falhas e exige uma persistência louca!!!! Mas a recompensa... essa tem um sabor inigualável... uma sensação de felicidade e conexão que vale todo o trabalhão!!!

     Eu acredito em sonhos e penso que são eles que dão o combustível pra sairmos da cama todos os dias, basta que tenhamos a coragem de dar pequenos passos todos os dias a fim de o torna-los uma realidade.

Muita luz e muitos primeiros passos a todos!!

A semana em que decidi ir pro mar

Oi pessoas...
Depois de um muito tempo resolvi voltar...
Precisava pensar um pouco e refletir se ainda havia algo pra ser dito... pensei, li muito, fui viver a vida na sua totalidade e sem reservas... e me surpreendi... parece que a minha voz retornou.

Deixa eu me explicar um pouco melhor... meu aniversário foi no mês passado e sempre passo por grandes mudanças e transformações nessa época: ficou muito mais medrosa, e mais recolhida. Aproveito o tempo para pensar melhor e refletir sobre tudo o que está acontecendo no momento na minha vida. E dessa vez, havia muita coisa pra ser pensada.

Uma característica desse tempo foi a de pessoas partindo da minha vida ( o que não é nenhuma novidade!!), a diferença agora é que foram pessoas bem importantes: houve um afastamento gradual e bem previsível, e eu senti muito essa ausência, mas, respirei fundo e mandei apenas energias positivas: as pessoas vão e vem e esse é o ritmo da vida: a garantia da impermanência. Ainda tenho contatos eventuais com essas pessoas mas decidi deixar as coisas acontecerem sem forçar nenhum encontro. Hoje eu penso que se for de verdade mesmo, vamos nos aproximar novamente e a parceria será retomada. Não guardo mágoas, só saudade mesmo.

E como sempre acontece... se há partidas significantes... há também chegadas! Há uma pessoa nova bem importante. Não sei bem quais serão os termos que iremos nos relacionar mas, no momento, estou curtindo cada momento e me conhecendo profundamente. Como eu já me conheço e sei como me comporto nessas situações, tenho me colocado diante de um microscópio e feito um esforço pra escutar a estoria que eu tô contanto pra mim mesma sobre o que tá acontecendo e a reecrevendo muitas vezes... não tem sido fácil contar essa nova estoria sem recorrer ao medo, a culpa  a raiva mas, tenho conseguido mudar muitos padrões de pensamento... aquela máxima que diz "relaxa que tudo se encaixa" tem se mostrado muito verdadeira. Tenho tido medo, mas também uma coragem nova e uma compaixão maior comigo mesma.

E o que o mar tem a ver com tudo isso? Bom, resolvi viajar no meu aniversário. Fui pra Bahia. Pro mar e pro sol e voltei renovada!! Profundamente agradecida por tudo o que vi e vivi por lá! Fiz novos amigos, conheci gente bacana, aprendi a resolver sozinha os meus próprios problemas sem cair no desespero ou no mimimi. Foi divertido, cansativo e profundamente relaxante. Gostei muito.

O mar com sua exuberância toda me surpreendeu em cada praia que eu conheci: a cor da água, a temperatura, os movimentos das marés... tudo me lembrou muito a minha vida e principalmente que a melhor maneira de lidar com as mudanças que sempre acontecem (tanto externas quanto internas) é abrir os braços e aceitar, procurar olhar as coisas com a curiosidade de uma criança e estar presente sempre,  e ficar atenta a todas as belezas que estão sempre em todas as situações, pessoas e lugares.

Voltei mais feliz. Mais agradecida. Mais segura de todas as coisas que eu quero pra mim e de tudo o que realmente importa. Voltei mais confiante na vida.

Desejo a todos um aprendizado de sol e mar e muita luz !!!

Viver é encontrar

   Eu sei que isso já foi dito. Milhares de vezes. Das mais diversas formas. Mesmo assim, esse é um assunto, que na minha opinião, nunca se esgota.

  Vamos, então, partir de um começo simples e muito óbvio: para encontrar algo é preciso se colocar em um "estado de procura", dispor-se a ser encontrado, acreditar firmemente na possibilidade do encontro, abrir-se para as possibilidades.

  Algumas pessoas poderiam pensar: mas nem sempre é assim, às vezes, as coisas simplesmente aparecem na vida da gente sem que estivéssemos esperando ou mesmo conscientemente procurando. 

   Coisas boas e coisas ruins. Grandes alegrias e perrengues de raiz. Soluções inesperadas e problemões gigantes. 

  Eu acredito que sempre estamos procurando alguma coisa, em algum nível e de alguma forma. Basta estarmos vivos que estamos sempre nessa busca, sempre torcendo para que o encontro aconteça logo e que seja pleno.

    Encontramos coisas dos vários tipos: alegres, inesperadas, grandes, interessantes, chatas, demoradas, divertidas, inocentes... cada uma delas surge por algum tipo de necessidade, talvez não consciente e que, nem sempre, aparecem da forma que estávamos esperando.

    Ah... mas como é doce a arte do encontro... encontrar algo que estávamos procurando a um tempão: um livro, uma blusa, um cd... uma resposta, uma pergunta chave, um grande amigo, um novo amor...

   Como é importante a arte do encontro e como se leva tempo (se é que algum dia isso acontece) para aprendermos essa "arte". Uma arte de surpresa, do inesperado, do desejado que pode pode surgir de um modo que nunca havíamos pensado. 

   Um encontro com alguém especial que é capaz de te fazer feliz pela simples presença, por uma mensagem bobinha no celular, por uma música que escutamos juntos.

   Eu realmente acredito na força e na magia dos encontros e a cada dia que passa tenho me permitido aprender mais e estar ainda mais aberta aos encontros que a vida tem me proporcionado, e que felizmente, tem sido muitos e me trazido muita felicidade.

   O mais engraçado de tudo isso é que esses encontros com outras pessoas, só aconteceram a partir do momento em que eu mesma consegui me encontrar, me acolher e me tratar com todo carinho e respeito. Houve um reencontro comigo mesma, um reconhecimento de amor e consideração a toda a minha estoria. Sem mágoas, sem culpas, sem ressentimentos.

  Simplesmente deixei essas coisas todas que eu havia encontrado e vinha acumulando ao longo da vida, livres para irem embora e com isso acabei por me libertar muito mais do que eu imaginava.

   Se eu acredito que a vida é arte do encontro, a primeira coisa e a mais importante que devemos procurar, sem dúvida nenhuma, somos nós mesmos.

Desejo muita luz e muitos encontros pra todos!!!

E se a gente se desse uma nova chance?

    E se a gente se desse uma nova chance?

    E se a gente decidisse quebrar as expectativas e os padrões?

   E se decidíssemos ouvir mais o nosso coração e menos o que os outros dizem que a gente deve fazer?

   Em termos de relacionamento, há tantos conselhos por aí: o que dizer, como se comportar, como reagir...o que não falar,  como não expressar o que estamos sentindo ou pensando... há tantas regras e protocolos... tenho achado isso muito cansativo.

   Já faz algum tempo, desde que conheci o trabalho lindo da Brené Brown sobre Vulnerabilidade, que me encontrei nesse mundo das emoções. Sou 100% emoção e brutalmente sincera,  principalmente comigo mesma!! 

   Nas minhas relações, digo o que sinto (por mais louco que isso possa ser), sinto tudo intensamente (e às vezes quebro a cara por isso), se me apaixono é fortemente, se tenho vergonha é da mais forte, se tenho medo é algo visceral.

   Colocar-se vulnerável, sob a minha perspectiva, é permitir encantar-se pelas coisas simples da vida: um céu azul, uma comida saborosa, uma música alegre, uma alegria alheia, um livro espetacular, um olhar de um estranho na rua... todas essas coisas me encantam e me resgatam das conversas punks que tenho comigo mesma na minha cabeça (me dou cada bronca!!!).

   Uma vulnerabilidade que deixa a gente inocente e nos dá uma outra perspectiva sobre as coisas da vida: nos traz presente para o que estamos vivendo no momento - sem passado ou futuro... só presença, respiração e coração.

   No último final de semana vivi um momento de profundo encantamento, conheci uma pessoa linda, alegre, e disposta a se conectar comigo. Nunca havíamos nos visto antes mas a conexão foi imediata: conversamos, rimos, dançamos, cantamos e nos divertimos como nunca!!! Nada foi planejado e talvez por isso tenha sido tão legal. Fiquei profundamente agradecida por esse lembrete do universo.

   Ainda bem tem gente tão louca quanto eu e tão disposta a simplesmente se conectar com outras pessoas sem ter nenhuma segunda intenção. Foi lindo e tornou meu final de semana super especial.

    E o que a nova chance tem a ver com tudo isso? Isso só aconteceu porque eu me dei uma nova chance de ver a vida, de sair e conhecer gente nova de verdade, sem segundas intenções e sem esperar nada em troca. Me senti completamente presente e me diverti muito mesmo!!! Me dei uma nova chance: simplesmente aproveitei aquilo que o universo me mandou e fui feliz!!! E me diverti! E ri! E saí renovada e com uma nova amiga!!

   Meu conselho? Sempre se dê novas chances, experimente e veja o que a vida está apresentando pra você agora mesmo!! Pegue os seus limões e faça uma limonada gostosa... quem sabe o que você pode acabar descobrindo???

Muita luz e novas chances pra todos!!!

Sobre a necessidade de conexão

             Não faz muito tempo que eu voltei a sair a noite com frequência. Eu simplesmente decido ir a algum lugar pra dançar e me divertir e geralmente vou sozinha.

    Muitas pessoas, e especialmente mulheres, estranham esse comportamento, o que eu mais escuto é "nossa que coragem",  "eu jamais sairia sozinha", "onde estão as tuas amigas?",  "tu não tens medo?". Não, eu respondo, geralmente sorrindo... não tenho medo algum e isso não me incomoda. Quanto as amigas? Tenho algumas poucas que ou estão casadas/namorando ou não curtem o mesmo tipo de balada que eu. E isso não me incomoda. Tá tudo bem.

    Esse estranhamento das pessoas é que me deixa um pouco desconfortável, não em relação a mim mesma, mas em relação ao fato de que parece que as pessoas só podem se divertir se estiverem em duplas ou em grupo...atire a primeira pedra quem nunca morreu de rir sozinho, vendo um filme ou uma série na tv... ou se cansou de tanto dançar na frente do espelho ou saiu pra correr e voltou pra casa renovado!!!! Há tantas possibilidades!!

    Alguém poderia dizer "mas,ninguém é feliz sozinho!!". Eu concordo com isso, acontece que eu posso me divertir sozinha, posso curtir a minha própria companhia sem sentir nem um pingo de culpa ou ficar triste por causa disso. Não estou perdendo nenhum amigo só estou curtindo a minha própria pessoa.

    Antes que alguém pense que eu passo a festa toda sozinha, já esclareço: sou extremamente sociável e por isso, sempre aparece alguém puxando conversa, e geralmente isso é muito divertido. Já conheci muita gente em fila de bar, na pista de dança e até no banheiro feminino!!! Basta estar aberto e se deixar conhecer... e devo confessar: somos todos muito parecidos!! Os mesmos medos, as mesmas dúvidas, gostos parecidos... conhecer gente nova é um exercício de vida muito interessante e que recomendo muito.

    Um dia desses, eu tava pensando sobre essas saídas e cheguei a conclusão que há uma coisa comum a todas elas, e que também está presente na minha vida: tenho uma necessidade muito forte de conexão!!!

    Preciso conhecer pessoas novas, ouvir suas estorias, conhecer seus gostos, ouvir como se expressam, do que gostam, o que lhes mete medo... e assim, ouvindo, tenho a oportunidade de me reconhecer e, desta forma, reescrever a minha própria estoria e me reinventar. 

  Quando conheço alguém, me reconecto com a minha humanidade: há algo novo em mim e fica um pouco de mim nessa outra pessoa.Nos (re)ligamos entrelaçamos as nossas vidas e, por um breve momento, fomos um.

Muita luz e conexões a todos!!!

Amor é ponte!!!

      O amor, em todas as suas manifestações é objeto de muita conversa. Todo mundo sempre tem algum conselho ou uma estoria pra contar.

     Um amor que deu certo, uma desilusão,uma paixão, uma nova relação, uma paquera... 

    Geralmente, quem procura conselhos está perdido e cheio de medo de errar, louco pra encontrar uma resposta, uma "receita de bolo" que sirva perfeitamente para solucionar o problema que está passando.

    No fundo, acredito que estamos todos muito cheio de medos: de se machucar, de se envolver, de sofrer, de magoar o outro... e esses medos atrapalham muito as relações.

     Ficamos como duas pessoas separadas por uma ponte, que ninguém tem coragem de atravessar. Há tantos "protocolos", tantas "cobranças" que nos impedem de dar um passo em direção ao outro. 

      Daí ficamos lado a lado, em mundos separados que eventualmente se encontram mas dificilmente se ligam.

      Uma outra alternativa, que dificilmente funciona, na minha opinião, é atravessar a ponte e entrar no mundo do outro, sem saber muito bem onde estamos pisando e nem se somos realmente bem vindos. Há uma perigosa mistura sem critérios, uma simbiose que já nasce com os dias contados, uma mistura que pode ser muito explosiva.

    Eu tenho uma visão particular sobre os relacionamentos. Acho que cada pessoa é um universo com seus encantos, mistérios e limitações e que renunciar a qualquer aspecto disso, em prol de um relacionamento é uma tragédia anunciada. Não se pode renunciar aquilo que se é, isso não seria nem um pouco justo ou honesto nem com a outra pessoa nem consigo mesmo. A gente pode sim, estabelecer novas formas de viver para se relacionar melhor com alguém.

     Daí, eu penso que uma solução seria considerar uma ponte, um terceiro caminho no qual dois mundos diferentes irão se encontrar e construir juntos um ponto de encontro: um universo que será repleto de experiências dos dois mundos, no qual a diplomacia deve ser exercida sem moderação.

    Amor é ponte. É conexão. É um voto de fé e confiança que se estabelece quando há um interesse maior do que puramente a atração física, há uma curiosidade e um interesse genuíno pelo mundo que um outro ser humano está abrindo e convidando a ser conhecido.

    É preciso coragem, persistência e muita paciência. Dar se a conhecer é uma tarefa apenas para quem tem muita fé.

    Eu acredito em pontes. Eu acredito nas pessoas e sem dúvida tenho fé no amor.

Desejo a todos muita luz e muitas pontes!!!!

Mude a sua perspectiva!!!

        Mudar a perspectiva sempre foi um desafio pra mim. O mais fácil e menos trabalhoso foi manter os velhos padrões: reagir sempre do mesmo jeito, responder da maneira mais conhecida.

      Responder de uma outra maneira aos acontecimentos da vida e agir diante das situações e não apenas reagir é um aprendizado que dá bastante trabalho. E causa uma certa dor e algum desconforto.

      É muito mais fácil e socialmente aceito, se irritar diante de uma pessoa que passa na sua frente em uma fila e criticar duramente uma pessoa que, por algum motivo que não é conhecido, evita cumprimentar seus colegas de trabalho.

        Eu, que já li tanta coisa a respeito, e já vivi tantas situações ainda me pego reagindo de maneira agressiva e preconceituosa: é muito fácil apontar os erros nas outras pessoas e simplesmente sair julgando e rotulando, do que tentar, fazer um esforço sincero de se colocar no lugar da outra pessoa.

     Não temos o hábito de agirmos com compaixão diante das pessoas que de alguma forma nos magoam, e tentar entender os motivos que as levaram a agir de determinada maneira. 

      Criticar, julgar, condenar é fácil. O trabalho maior e mais desafiador é conseguir perdoar, apoiar e até mesmo desculpar quem age assim sem que o mundo faça a gente se sentir um babaca. 

     Daí, escolhi o post acima pra ilustrar essa necessidade urgente de repensar a forma como interagirmos com o mundo: procurando se fixar menos nas coisas que não necessariamente deram errado, mas sim aconteceram de uma maneira que não estávamos esperando, e fazer um esforço para reconhecer que o que pareceu "dar errado" foi, na verdade, uma oportunidade de aprendizado e de deixar um espaço aberto para que outras coisas pudessem acontecer, espaço para o inesperado que com certeza virá da forma que menos esperarmos e quando nem estivermos aguardando alguma coisa.

Muita luz e novas perspectivas pra todos!!!

Não espere o príncipe no cavalo branco!!!

       Hoje escrevo pra todas as minhas leitoras e também pra mim mesma.

       Gurias, suas lindas... não esperem pelo príncipe encantado... ele não existe!!

       Sei que vocês podem pensar que isso é apenas uma conclusão de alguém que perdeu a fé!!! Mas não é bem isso. Ou melhor, não é só isso.

     Ainda penso que há nesse mundo enorme um cara legal e que a gente vai se encontrar e vamos nos reconhecer. Só isso.Não há o "felizes para sempre!"

       Há sim, uma alegria e uma felicidade construída dia a dia, aos poucos e de mansinho. Tenho certeza que haverá desentendimentos, ciúmes e um pouco de medo. Mas que conseguiremos superar tudo isso e construir algo maior que todas essas coisas.

      Não acredito em príncipes por uma razão muito mais simples e óbvia e que eu demorei um tempão pra descobrir!! Eu não preciso e nem quero ser salva da minha vida!!! 

     Minhas estórias,minhas dores, minhas vitórias são parte da pessoa que eu sou hoje, e , acima de tudo, foram escolhas minhas. Não quero renunciar a nenhuma dessas coisas por pessoa alguma porque eu sei que não vale a pena!!

      Não espero o príncipe no cavalo branco porque eu não sou prisioneira de nada. Não há uma madrasta má ou mesmo uma bruxa ( a não ser que consideremos que elas moram dentro da minha cabeça!!!).

     Não estou presa em uma torre a não ser aquela mesma que eu ajudei a construir pra mim mesma e que, muitas vezes, serve de fortaleza e de local de repouso. Por que bem sabemos que toda a princesa mora em alguma espécie de torre!!

     Não sou nenhuma Cinderela ou alguma espécie de Rapunzel... não mesmo!! Tô mais pra Joana D"Arc e olhe lá....Sou sensível, tenho sonhos e medos só meus mas não fujo a uma boa luta, ainda mais se ela envolver a minha sobrevivência emocional!! Luto, choro, me machuco pra valer mas não desisto de procurar, não por alguém que me salve, mas por algo maior a tudo isso e que me revele ou pelo menos me faça chegar mais perto da mulher guerreira que eu quero ser.

    Por isso, suas lindas... não usem o seu tempo precioso procurando por alguém, mas procurem sim, se encontrar e se amar profundamente. Esse é um trabalho pra vida toda!!!

Muita luz e muitas batalhas pra vocês todas!!!!

Novos começos mas o tempo ainda é o mesmo!!!

Oi gente boa... quanto tempo ein...
Pois é...
    Eu nunca fui muito boa com pontos finais e sempre preferi deixar as coisas em aberto... sabe como é... empurrar tudo até a beira do abismo e esperar que um ventinho mais forte termine o trabalho... precisei ouvir umas coisas pra sair da minha zona de conforto e colocar um grande ponto final em algo que estava me incomodando muito!!!

   Foi bem difícil, não fiquei pensando muito... simplesmente fui lá e fiz...

  Talvez (ou provavelmente com certeza) algumas pessoas saíram feridas mas eu saí muito mais forte e corajosa dessa experiência.

   Cada vez que uma dessas coisas acontecem, eu me sinto mais confortável dentro da minha própria pele e com mais certeza a respeito das coisas que eu quero na minha vida.

Uma estoria importante da minha vida acabou. Que venham outras!!!

Muita luz e novos começos pra todos!!!

Tanto pra dizer que me faltam palavras...

             (É triste, porque eu sinto que tenho tanto pra dizer mas simplesmente não consigo)

    É assim que eu me sinto muitas vezes.... com tanta coisa acontecendo dentro de mim e sem conseguir expressar direito o que eu estou sentindo... porque as palavras, ao invés de me ajudar, só me atrapalham e me traem.

   Ando lendo e me estudando muito mas não sei se isto está me ajudando... o nó na garganta tá ficando cada vez mais apertado e o que antes costumava aliviar agora já não funciona mais.

  Talvez seja apenas uma fase... uma daquelas bem longas e difíceis... espero que acabe logo.


Muita luz pra vocês.

Perdas de maio...

       Fazia muito tempo que eu não tinha um período de tantas perdas na minha vida.

     O mês de abril trouxe uma porção de pessoas novas pra minha vida: novas expectativas, novos planos e novas possibilidades.

     Maio chegou e aos poucos, foi mandando embora todas essas pessoas. Todas encontraram novos caminhos nos quais eu não estava incluída.

    Foi bem difícil ver todas essas possibilidades acabarem mas, eu, costumo ser fingir ser corajosa: "fiquei" feliz porque os novos destinos talvez fossem os mais felizes para essas pessoas. Lhes dei os parabéns e desejei tudo de bom. Eu sou assim... posso estar destruída por dentro mas dificilmente vou deixar alguém saber, gosto de parecer uma boa esportista e saber perder sem ficar me lamentando.

    Pois é, eu não me lamento para as pessoas que partiram e também não lhes desejo mal algum... porém fico em cacos por dentro... sinto uma dor profunda e me fecho na minha concha.

    Agora estou assim... fechada pra balanço... por um bom tempo... cansada de sofrer e construir castelos de areia e apostar em situações que sempre acabam do mesmo jeito.

    Vou levando os meus dias na expectativa de que não há mais rompimentos e perdas para acontecerem.. levando cada dia como um membro do AAA... um dia de cada vez e evitando situações que possa me deixar vulnerável ou com algum tipo de expectativa.

    Confesso que está sendo bem difícil não se deixar levar por todas essas pequenas perdas... e o que tem mantido de pé tem sido a minha filha.

    Eu sei que uma hora isso tudo vai acabar mas, por enquanto, só quero silêncio e solidão, porque tenho certeza que nesses dois lugares ninguém será capaz de me machucar.

Desejo a vocês toda a luz possível.

Pare. Olhe. Aprecie.

Olá queridos... quanto tempo ein...

         Devo confessar que a procrastinação, uma amiga minha de longa data, resolveu parar em mim para uma longa visita. E, como resolveu dar uma esticada, chamou o medo, um dos seus melhores amigos para lhe fazer companhia. E eu, fiquei sentada em silêncio com esses dois, daí o meu sumiço: fiquei adiando, a escrita de um post para o próximo dia, para a próxima semana, para o final de semana... e assim os dias foram passando.

   Quando eu conseguia vencer a procrastinação, o medo surgia com toda a força e semeava mil dúvidas na minha cabeça: sou competente? será que alguém já não disse isso antes? Vou repetir o que todo mundo tá falando... será que tenho algo prá dizer? Tem alguém me ouvindo? E por aí vai...

    Daí, hoje, que estou as voltas com um problemão com o  meu carro, decidi  PARAR, OLHAR e APRECIAR.

     PARAR de agir no piloto automático da reclamação: reclamar porque o carro estragou e porque vou ter prejuízos...

    PARAR de olhar para os acontecimentos na condição de vítima, e sim, pensar na forma como agi para que isso acontecesse.

    OLHAR a situação toda como uma espécie de aviso e lembrete de que é preciso ter cuidado e fazer manutenções periódicas em todas as áreas da minha vida e isso inclui eu mesma.

   OLHAR as pessoas como um olhar menos preconceituoso e esperar sempre e em primeiro lugar aquilo que elas tem de bom para nos oferecer.

   OLHAR os acontecimentos como chances para conhecer coisas novas e como oportunidades de autoconhecimento.

    APRECIAR as pessoas boas que o universo sempre envia se estamos em uma boa sintonia.

   APRECIAR as surpresas e oportunidades que podem surgir em um evento cotidiano.

  APRECIAR o movimento silencioso e cheio de mistério que permeia a nossa vida a todo momento.

Meu conselho é:
                         PARE de tentar ser algo que você não é
                         OLHE a sua vida e as pessoas que estão nela ou que podem estar chegando, com muito respeito, carinho e admiração.
                        E por fim APRECIE: você, sua estoria e as pessoas que estão nela ao seu lado.

Muita luz pra todos.


Uma boa descrição de mim mesma...

Oiii gente boa....
Hoje eu tô assim, meio nostálgica... com saudades de uma pessoa que eu já fui...
Alguém mais alegre, mais otimista e mais conectada... hoje só me sinto cansada... um pouco triste... sei lá...como se tivesse com a minha alegria gasta... Talvez eu só precise de um tempo e um lugar pra me lembrar de quem eu realmente sou...

Muita luz e paz pra todos

Somos poeira de estrelas

Olá meus queridos... aqui estou eu... de volta...
    Hoje venho conversar com vocês sobre o universo e seus mistérios...

      Acredito que somos um momento no universo mas, pensamos ser eternos.

     Quando nosso tempo termina, sendo de maneira repentina ou lentamente, sofremos muito porque nos apegamos a uma única forma de vida: ser uma mulher ou um homem no mundo físico, ter uma família e um trabalho e construirmos uma estoria nossa.

      Quando vejo imagens do nosso universo, aquilo que nossos olhos não alcançam, não tenho como deixar de ficar maravilhada e extremamente curiosa. Maravilhada pela beleza e organização dessa  tantas outras estrelas e milhares de galáxias. Curiosa para saber o que há escondido nesse espaço cheio de segredos.

     Por incrível que pareça, não tenho curiosidade alguma em saber o que há realmente nessas milhares de estrelas e outras galáxias. Para falar a verdade, me sinto parte delas, nem maior nem menor, e sim uma participante de todo esse mistério.

     Percebo que todas aquelas estrelas e universos também estão dentro de mim e que, talvez, sejamos mesmo inseparáveis.

    Assim me sinto mais empoderada e em controle (ou na direção) da minha vida. Posso sempre escolher a forma de interagir com esse universo: posso ser uma protagonista ou me contentar com uma posição de coadjuvante... posso também alternar de posição e,  em uma hora ser agente e em outra apenas observador... essa alternância deve ser dinâmica e constante para evitarmos a tentação de nos comportarmos como pessoas orgulhosas demais que não precisam de ajuda ou, como vítimas da nossa própria vida que estão indefesas e à mercê de tudo o que acontece.


   Repito, então, se somos poeira de estrelas, há algo divino e muito especial dentro de cada pessoa. Há muita luz e muito energia aguardando para serem libertados.

  Liberte a sua luz e se torne a estrela mais brilhante que puder ser.

Muita luz pra todos!!!

Pelo fim do coitadismo

Oi gente querida....
      Hoje venho conversar com vocês sobre um tema que me mobilizou nessa semana. Eu tô fazendo um curso sobre desenvolvimento pessoal e esse foi um dos temas que conversamos por esses dias. Uma das características que se repetiu muito na vida virtual e que, também acontece na vida real, é o famoso "coitadismo" também chamado de "vitimização".

    Deixa eu me explicar melhor... 
Muitas pessoas (e eu me incluía nesse grupo a pouco tempo e tenho minhas recaídas) tem o hábito de regularmente reclamar da vida: do tempo, do trânsito, dos preços, da política, do som do vizinho, da conexão da internet e por aí vai... tudo acaba criando uma vibe muito pesada e negativa de pensamentos e sentimentos ruins. 

    As reclamações são tantas e as soluções bem poucas e geralmente não envolvem aquele que está reclamando: a culpa é da prefeitura, do governo corrupto, do desrespeito ao consumidor...Então em resumo, as pessoas se colocam como vítimas de uma situação, como se o mundo todo estivesse contra elas e nada pudesse ser feito (além de reclamar e distribuir a culpa pelo mundo!!!)

     Eu penso um pouquinho diferente. Acho essa estoria de se achar uma vítima de algo e ficar reclamando, algo muito confortável e fácil de fazer... todo mundo faz assim... e a vibe de negatividade e impotência parece só aumentar!!! 

    Eu, já disse por aí nesses mundos virtuais, que não me considero vítima de nada!!! Sou autora e protagonista da minha própria vida!!! Quer dizer que minha vida é tipo conto de fadas??? Nada mais longe da verdade!!! Tenho um monte de perrengues, desafios e mini monstros que enfrento todos os dias.

     Eu decidi que não vou me deixar abater pelas coisas tristes que acontecem comigo!!! Tenho meus dias mais tristes, dias que eu preciso de um colo e de um abraço!!! Mas esses dias tem ficado cada vez mais raros!!

     Tenho algum segredo? Vivo em um mundo cor de rosa? Nada disso!!! Só tenho estado mais atenta as coisas que coloco da minha vida e prestado muita atenção ao modo como encaro os acontecimentos do meu dia a dia. Tenho procurado mudar o foco... pensar de uma outra maneira e sobre um outro ponto de vista.

      Duas coisas bem práticas e bem simples tem me ajudado muito: nada de televisão e meditação diariamente.

     Não assisto mais a telejornais de nenhum tipo: só me deixavam triste e preocupada!!! Filmes violentos? De assassinatos e massacres? Muito raramente ou quase nunca. Aprendi que os olhos são janelas para a mente e que é preciso colocar paisagens mais agradáveis para gerar pensamentos mais positivos e muito mais produtivos!!! 

     Então temos um ciclo: boas paisagens geram pensamentos mais positivos e esses, por sua vez, geram empoderamento e proatividade. Me sinto parte e  protagonista de um mundo muito melhor e mais cheio de luz.

     E a meditação? Diariamente igual escovar os dentes!!! Medito todos os dias pela manhã e à noite. Agradeço, peço e me escuto!!!  Já descobri muita coisa a meu respeito!!! Tô liberando um monte de coisas que eu andava guardando no meu coração!!! Perdoando mais, tendo menos medo, sendo mais paciente... essa lista de coisas boas não tem fim!!!

    Tenho procurado ver o lado mais positivo das pessoas, das coisas e das situações... tem sido um desafio que tenho vivido, um dia de cada vez e cada momento como ele é ( e não como eu gostaria que fosse!!!). 

    Ando procurado mais presença: no meu mundo interno, na vida das pessoas que amo e no mundo... e quer saber de uma coisa... tem funcionado... e muito!!!

Muito protagonismo na vida e muita luz pra todos!!!              

Sobre ser singular....

Oi gente,
    Vi esse post e não pude deixar de compartilhar.

      O aprendizado de ser singular é o mais difícil de ser feito. Estamos imersos em uma sociedade que valoriza a companhia e constantemente ouvimos que a felicidade só acontece aos pares: precisamos encontrar a outra "metade" da nossa laranja, a "tampa" da nossa panela e por aí vai...

    Se você é mulher então a coisa complica ainda mais: imagina uma menina sair da casa dos pais pra morar sozinha!!! Pra ter sua própria vida sem nenhum homem pra lhe proteger e lhe apoiar!!!
Somos acostumadas a pensar que somos frágeis e indefesas... seres que precisam ser protegidos e poupados!!

       Imagina ir a um restaurante sozinha!! E a uma festa então? Sempre vai aparecer alguém e perguntar: tá sozinha? Onde estão tuas amigas? Como assim tá sozinha? Tá tudo bem?

    Sim gente. Eu tô sozinha e tô feliz. Tá bom aqui e não preciso de companhia.Não tô com nenhum problema. Não tô triste. Só não tô acompanhada e isso definitivamente não é um problema!!!

  Ser feliz é uma expressão que precisa ser conjugada na primeira pessoa pra depois fazer algum sentido no plural.

Muita luz e singularidades pra todos!!!

Sobre as coisas boas que acontecem na vida!!! - Profissão de fé


Oi gente querida!!!

     Tô escrevendo aqui hoje com o coração cheio de alegria!!! Tenho visto, cada vez mais, pessoas queridas se encontrando na vida e sendo felizes...novas chances e recomeços!!!

     Não é nada que me diga respeito diretamente mas saber que ainda é possível ser feliz com coisas simples me alegra o coração e me faz sentir mais viva. 

     Posso até parecer uma ingênua mas eu creio em coisas simples: eu creio no amor, eu creio no carinho, eu creio no afeto, eu creio no melhor de cada pessoa...

    Creio que cada coisa tem o seu tempo e que talvez os meus desejos não são para esse tempo, porque ainda há aprendizado a ser feito, há coisas que precisam ser liberadas e sentimentos que precisam ser deixados de lado.

    Creio na vida e nas surpresas boas que ela me revela. Tenho fé em mim e no mundo.

   Creio que quando as coisas não acontecem do jeito que eu planejei ou exatamente como eu quero, é porque há um plano maior e melhor que vai acontecer.

   Creio que não existem "pessoas erradas" mas sim lições para serem aprendidas e que se eu não estou convencida de algumas coisas, o universo vai dar um outro jeito de me dizer o que eu preciso ouvir em um determinado momento.

    Eu creio que o amor e o afeto devem partir de mim para mim mesma: eu preciso começar a me conhecer melhor e a me querer bem.

   Eu creio que a vida sempre encontra um jeito de se mostrar bela e resta a mim aprender a olhar a beleza por outros ângulos.

   Eu creio que se as pessoas que aprecio forem felizes eu também serei.

    Eu creio que tenho algo de muito bom pra oferecer para o mundo e que vou fazer isso todos os dias e em todas as oportunidades que eu tiver.

   Eu creio na vida e principalmente eu creio nas sementes que estou plantando.

    Vou continuar cultivando o meu jardim com fé, esperança e muito amor. As borboletas vão aparecer...basta esperar!!!

Muita luz e muitas crenças positivas pra todos!!!

Música da hora ou... teu sorriso me encanta!!!!

     Não tem como não sorrir ouvindo essa música!!! Linda, simples e romântica.... Eu ainda não encontrei nenhum sorriso que me encantasse tanto assim.

Aproveitem!!

Muita luz e muitos sorrisos apaixonados pra todos!!!