Férias de minha vida



             Tenho esse hábito de me dar umas férias de vez em quando. De tempos em tempos, faço uma viagem e me afasto da minha rotina que, às vezes, me sufoca.
             Por uns poucos dias eu me desligo de tudo e deixo que o acaso me oriente.Uma das únicas regras desse tempo é experimentar alguma coisa nova, algo legal que me relaxe e me inspire. Sempre há alguma coisa relacionada a livros, lugares e pessoas novas. Dessa vez, por conta de uns processos internos de revisão de vida e estabelecimento de prioridades, selecionei muito melhor os livros, os lugares e as pessoas. As regras dessa vez foram duas: nada de pressa e quantidade não é qualidade.               Escolhi cuidadosamente os livros e um dos que foram comprados, vai virar um post em seguida. 
         Sobre os lugares: um deles foi o mesmo de sempre mas, me permiti conhecer dois lugares novos muito legais. Me diverti muito e criei memórias afetivas muito importantes. Procurei olhar os lugares de uma outra maneira, priorizando os detalhes e o clima que o ambiente me transmitia: a luz, o movimento das pessoas, as cores e os sons.
         Quanto as pessoas... isso vai ser dito com mais detalhes na sequência. Posso adiantar dois momentos diferentes e uma sensação de acolhimento, respeito e carinho que ambos me proporcionaram. Fazia muito tempo que eu não encontrava tanta gente querida e talentosa junto.Uma coisa já posso adiantar... não há nada mais inspirador e motivador do que o afeto.
         Voltei para casa cheia de saudades da minha filha e com a cabeça cheia de ideias.Também há um pouco de sono atrasado e um joelho roxo por conta da minha distração habitual.
        Acredito que precisamos treinar o nosso olhar para ver as coisas sob uma outra perspectiva, desconstruir um pouco as certezas , se liberar de alguns preconceitos e nos permitir viver de uma maneira mais livre.
        Quando falo desse meu ritual para algumas pessoas, percebo claramente um ar de reprovação e "invejinha". Muitas pessoas não entendem a importância de se dar uns momentos de solidão saudável, para poder colocar as ideias em ordem e ouvir melhor o coração.Se isso não é muito bem compreendido ou aceito, nada posso fazer até mesmo porque eu já compreendi que são momentos assim que permitem uma manutenção na minha sanidade mental e servem de fonte de inspiração.
        Essas mini férias são sempre boas. Respirar ares novos, enfrentar desafios, conhecer gente diferente, ouvir músicas novas... tudo isso me inspira e me motiva a voltar pra minha rotina com muito mais gás e animação. Eu não me arrependo de nenhuma escolha que eu fiz: tudo e absolutamente tudo seria feito do mesmo jeito se houvesse uma outra oportunidade. Tenho aprendido que a vida é cheia de surpresas e acasos e tudo acontece por uma razão. Eu me orgulho das minhas escolhas. E vocês? Já pensaram em tirar umas mini-férias? O que estão esperando?

Muita luz pra todos!!



Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário e um endereço de contato pra gente se falar!!!