Existe um limite para as relações?

Olá ... gente
Hoje venho aqui para conversar um pouco sobre as relações entre as pessoas e os limites que são colocados.
Bom, em primeiro lugar, há de se pensar sobre a necessidade de colocarmos limites: até que ponto precisamos disso? Limites são acordos mútuos? Podem ser rompidos/modificados/ignorados sem que alguém se machuque? São perguntas que venho me fazendo a muito tempo, e mais precisamente agora. Preciso refletir sobre isso.
Sempre acreditei que os limites eram barreiras intransponíveis: uma vez combinados não poderiam ser ultrapassados. Hoje, penso diferente, até porque tive provas de que, os limites que coloco nas minhas relações podem ser bem flexíveis/contornáveis/ignorados. O que vem depois que esses limites são desrespeitados? Ainda não sei, e isso me amedronta um pouco.
Sou uma cria do sistema escolar estruturalista, e esse pensamento sempre se fez presente em todas as áreas da minha vida. O resultado: sofri muito e me cobrei demais... aquele pensamento de que cada coisa tem o seu lugar, e que as coisas devem acontecer uma de cada vez, já não funciona mais pra mim... minha vida está mudando muito rápido. Para poder me sentir mais tranquila, tenho procurado aceitar as mudanças com muita fé e coração aberto: a vida é muito curta para que resistamos a ela!!!
Penso também que os limites podem ser muito prejudiciais à vida: prederminar ou definir pessoas e relações pode fazer com que, por medo ou insegurança, deixemos de viver e conhecer pessoas e emoções muito importantes. Esclareço melhor: se considero X um conhecido meu, um colega do trabalho, e construo as minhas expectativas em relação a esse parâmetro, isso significa que nunca poderemos ser algo mais do que isso? Eu só vou conseguir enxergar X dessa maneira? E se houver mais coisas para serem descobertas... e se,  houver uma chance de felicidade diferente da que eu imaginava e eu não estou sendo capaz de ver isso?
Precisamos nos lembrar que os nomes e os limites são importantes e necessários, especialmente quando falamos em mundo físico. Mas, quando estamos lidando com pessoas isso não deveria ser o mais importante. As pessoas são lindas e cheias de encantos e mistérios... que tal nos darmos a conhecer melhor? Que tal começarmos a olhar quem está ao nosso redor com um pouco mais de amor e compaixão? Ouvir o outro, acolhe-lo, procurar conhecer a sua natureza e permitir que o outro te conheça. O importante das relações  não deve ser a busca de um alguém ideal e sim o encontro, consigo mesmo e com o outro.
Encerro, por aqui, desejando que as pessoas sejam mais felizes sendo elas mesmas, sem muitas expectativas e que procurem muito mais construir/reelaborar e criar novas formas de se relacionar do que construir limites.

Muita luz para todos!!!

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário e um endereço de contato pra gente se falar!!!