Algumas pessoas são como lugares...

Oi gente boa...
Eu, agora, em estado de "férias" tenho tido mais tempo pra pensar sobre a vida... tenho olhado muito para o céu, que de longe, é o meu lugar favorito. Isso é tão importante para mim, que chego a me sentir triste se os meus dias "de vida normal" não me permitem ficar contemplando o céu por alguns momentos.
Me desculpem se ando divagando muito, há motivos pra isso. Bons e novos motivos..
A inspiração para esse post veio de um passeio em lugar cheio de pessoas que acabei de fazer.
Quanto mais o tempo passa e convivo com mais pessoas diferentes, concluo, que pra mim, as pessoas são como lugares.
Algumas representam espaços nos quais convivi por força das circunstancias, nem sempre foram agradáveis mas foram essencialmente necessários.
Outras foram pontos de passagem, caminhos que precisavam ser percorridos para que novos caminhos surgissem. Em um primeiro momento pareciam agradáveis mas, depois se revelaram desconfortáveis e inseguros. Foi preciso uma dose extra de coragem para perceber que o tempo de permanência havia acabado. Era hora de arrumar a mala e levar somente o que fosse extremamente indispensável.
O tempo mostra, que alguns lugares precisam ser revisitados com frequência, independente do quanto sejam insalubres e nos façam mal...fazem parte de um roteiro imprevisível que o universo traçou para cada um. Não há escapatória. O jeito é respirar fundo e tornar esse lugar o menos danoso possível.
Já outros, surgem ao acaso, e se revelam, bons lugares. Lugares felizes e cheios de surpresas boas. Basta estar atento e de coração aberto. Os riscos de coisas ruins são proporcionais ao quanto o lugar se revela atraente, não são raras as vezes nas quais há perigo e veneno nas coisas belas. É preciso estar atento.
Durante muito tempo frequentei os mesmos lugares. E outros que já tinham sido importantes haviam sido abandonados. O universo, com seu senso de humor inigualável, fez com que eu resolvesse dar uma nova chance a esses lugares. E isso foi muito bom. E ainda está sendo. Rever lugares antigos com um novo olhar, sempre acaba por deixa-los ainda mais bonitos...
E por último, aqueles lugares para os quais todos nos advertiam: não vá, você vai se perder. E, por puro medo e preconceito eu nunca havia dado uma chance a esses lugares. Devo admitir que, não fui de coração aberto, fui de luz alta e bússola e com um mapa. Para a minha surpresa, passado o susto inicial, descobri que os tais lugares perigosos não eram tão destrutivos assim, e posso dizer, com a mais absoluta certeza, que , em muitos deles eu me encontrei.
Quer um conselho óbvio: larga um pouco a bússola e ignora as placas de perigo...e vai que é aí que você se encontra?

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário e um endereço de contato pra gente se falar!!!