E como andam os seus limites???

Olá gente boa...
     Venho aqui hoje pra conversar um pouquinho sobre algo bem delicado...LIMITES.
     Eu poderia falar sobre esse assunto sobre várias perspectivas, me apoiando em teóricos e filósofos mas... meu objetivo aqui é dividir um pouco das coisas que tenho aprendido com as minhas próprias experiências.
    Ontem aconteceu um fato comigo que me deixou muito pensativa... até que ponto, os limites que criamos e determinamos para nós mesmos estão nos impedindo de viver novas experiências? Por que é tão mais confortável nos apegarmos as nossas "crenças" do que arriscar algo novo?
     Uma parte do problema talvez seja a nossa necessidade de preservar aquela imagem que criamos de nós mesmos para o mundo: o que os outros vão pensar se eu mudar de ideia? Vai parecer que sou uma pessoa volúvel? Que muda a toda hora? O que esquecemos, de propósito eu acho, é que estamos nos renovando e mudando biologicamente a todo momento, novas células nascendo, outras perecendo... novas sinapses... novas experiências...então por que tanta rigidez mental?
     Uma outra talvez seja o fato de que já sofremos tanto na vida que alguns de nós construiram muros de proteção e neles colocaram grandes placas sinalizando PARE!!! NÃO SE APROXIME!!PROIBIDA A ENTRADA!!! E isso nos impede de viver e desfrutar as nossas experiências de uma outra maneira bem mais livre e divertida. Por que, posso falar por experiência própria, levar uma vida dentro de padrões rígidos ou como a sociedade espera que a gente faça nos causa muito mais sofrimento, e em algum nível, nos tornamos uns hipócritas que só julgam os outros.
     Meu conselho é  (sim pq sempre aconselho kkkk) que cada um a seu tempo, faça uma revisão dos limites que está colocando para si e para os outros na sua própria vida e se eles ainda estão fazendo sentido... caso perceba algo estranho... não tenha medo nem vergonha de mudar e tentar coisas novas... a vida é muito curta pra isso!!

Muita luz e novo limites pra todos!!!

E a tralha nossa de cada dia????

Olá gente boa...
     Escrevo aqui para conversar sobre a importância de não deixar os objetos tomarem conta da sua vida e acabarem atrapalhando e impedindo a chegada de coisas novas.
    E falo de cadeira, porque sou uma acumuladora de objetos confessa... pra se ter uma ideia, levei aproximadamente um dez dias pra conseguir destralhar um espaço aqui na minha casa... e foi difícil, e cansativo, irritante, amedrontador e exigiu muita persistência... me senti consumida...
     Em minha defesa, devo dizer que foram mais ou menos uns dez anos de tralha que me livrei e parte dela não era só minha. Sim, eu tinha (ou será que ainda tenho?) muito apego as minhas coisas todas, pois cada uma delas tinha uma lembrança especial de um tempo que vivi e fui muito feliz de algum jeito... foi doloroso mexer em algumas coisas e muitas vezes pensei em desistir..
     Ainda continuando a minha defesa, talvez esse apego todo se deva a perdas importantes que eu tive na minha vida, uma delas e a maior, que me acompanha sempre como uma ferida (em fase de cicatrização agora): perdi a minha mãe muito cedo e isso fez com que ao longo da vida eu transferisse a ausência física dela (ainda que eu tenha tido uma outra mãe que me criou) para os objetos.       
     Emocionalmente ter determinado objeto supria temporariamente uma falta: uma ausência de um afeto que nunca foi preenchido totalmente e que vai ficar marcado em mim até o final dos meus dias.
    Desapegar. Jogar fora. Doar. Foram exercícios que pratiquei muito nesses últimos tempos e me sinto muito mais leve e pronta para novos desafios (sem tanto apegos agora).    
     Só quero manter comigo aquilo que for realmente importante pelo tempo necessário e depois também deixar ir...
     Isso tem me feito um bem enorme... tenho tido mais paz, mais tranquilidade e uma vontade de viver novas experiências ....
     Sei que tem mais coisas que ainda precisam ser liberadas... mas cada coisa a seu tempo... cada coisa liberada tem aberto espaço para uma abundância que eu não nunca tinha experimentado....
     Um dia eu quis uma vida sofisticada e cheia e objetos... hoje eu quero paz e simplicidade... isso me ajuda a me respeitar e a respeitar todos aqueles que amo...
     Meu conselho é... dá uma olhadinha ai na sua volta e observa o que não faz mais sentido pra você... quem sabe não está na hora de  deixar ir algumas coisas??

Muita abundância e luz pra todos!!!


LIBERDADE

    Se tem uma coisa que eu prezo na vida é a minha liberdade.
    Ser livre é uma das máximas da minha vida e procuro sempre estar atenta a isso no meu dia a dia.
    É um desafio diário para mim, não me deixar envolver nas pequenas correntes que a vida me oferece todos os dias, correntes que de algum modo me trazem segurança, conforto e acolhimento.
    Ás vezes eu penso que é muito mais fácil não ser uma pessoa livre: não ter as próprias opiniões ou um estilo de vida que lhe pareça muito mais fiel às coisas se acredita... fazer o que todo mundo faz, sem pensar muito é bem mais tranquilo. Ninguém vai te apontar dedos ou se achar no direito de te "aconselhar" a fazer a "coisa certa". Você será aceito nos grupos e sua família vai ter muito orgulho das suas escolhas...
    O lado ruim disso tudo, e o mais trágico na minha opinião, é que você acabará esquecendo dos seus sonhos e seus valores, daquilo que é realmente importante pra você, e em algum momento, irá se arrepender muito de ter vivido de acordo com os padrões de liberdade alheias.
    Ser livre é desafiar aos outros e principalmente a si mesmo, estar disposta a questionar e rever constantemente as suas escolhas e as suas motivações, é estar aberta a experimentar coisas novas pelo simples prazer de viver uma experiência única.
    Quem preza a liberdade, tem um enorme aprendizado pela frente que inclui deixar aqueles que amamos livres para que possam viver as suas experiências e concluir algumas coisas mesmo que provisoriamente.
    Quem ama a liberdade sabe que ser livre é um trabalho constante de autoconhecimento e de destruição de padrões e conceitos .
    Quem ama a liberdade reconhece que a maior prova de amor que pode dar a si mesmo e aos outros é se amar e  se aceitar incondicionalmente. 
    Aprender a ser livre para que os outros que convivam conosco também se sintam inspirados a fazer o mesmo - isso sim é liberdade.


Muita liberdade e luz pra todos!!!!